Jonas Savimbi

Obrigado leitores

Lisonjeia-me constatar tantos leitores atentos da Tribuna de Angola, um palco que nunca recuou face às ameaças, que nunca vacilou na busca da verdade, com rigor, mas também com humor sério próprio em política.Em reação

A Esfinge

Numa fase em que a economia mundial estremece por pressão psicológica de um conflito anunciado, a Esfinge ACJ, com rosto cansado e preocupado, cedeu às cobranças dos pagantes, e transformou a homenagem ao líder fundador

SOS Jamba

Jonas Savimbi não morreu, o seu ADN deixou rasto, encarnou na oligarquia herdeira da metodologia do timoneiro do Galo Negro. As eminências pardas dos kwatchas, alinhados no mesmo diapasão, no pânico instalado com as perspetivas

Modus Operandi

Nem Jonas Malheiro Savimbi no auge das suas alucinações, revelou tanta indiferença à homenagem aos heróis nacionalistas do 4 de Fevereiro. Ontem a par das comemorações assistimos a uma hedionda agressão cívica por parte do