Como se sabe existem diferentes tipos de diabetes. Portanto, não há uma ‘dieta de diabetes’ única para todas as pessoas. Contudo, deixamos aqui algumas dicas que podem ajudá-lo a fazer escolhas alimentares mais saudáveis.

Estas dicas de alimentação saudável são gerais e podem ajudá-lo a gerir a sua glicose no sangue (açúcar), pressão arterial e níveis de colesterol. Além disso, também podem ajudar a controlar o seu peso e reduzir o risco de complicações da diabetes, como problemas cardíacos e derrames e outras condições de saúde, incluindo certos tipos de cancro.

Baseamos as nossas dicas em pesquisas que envolvem pessoas com diabetes tipo 1 e tipo 2. Se você tem um tipo diferente de diabetes, como diabetes gestacional e relacionado à fibrose, algumas destas dicas podem ser relevantes. É importante salientar que qualquer tipo de diabetes deve ser acompanhado de um nutricionista.

O que significa para você comer direito?

Se você tem diabetes tipo 1, a contagem de hidratos de carbono é realmente importante para manter os seus níveis de glicose no sangue estável. É aqui que você estima quantos hidratos de carbono estão na sua refeição e combinam com quanta insulina você precisa tomar.

Se você tem o tipo 2 e está acima do peso, encontrar uma maneira de perder peso é importante, pois realmente melhora o gerenciamento da diabetes. Isso ocorre porque pode ajudar a diminuir a glicose no sangue e reduzir o risco de outras complicações. Existem diferentes maneiras de fazer isso como as dietas com baixo teor de hidratos de carbono, mediterrânica ou de baixas calorias. Perder peso pode ajudá-lo a diminuir os níveis de glicose no sangue, e agora sabemos que a perda substancial de peso pode até colocar a diabetes tipo 2 de algumas pessoas em remissão.

Se você tem diabetes tipo 1 ou tipo 2, pode ser necessário perder, ganhar ou manter o seu peso actual, mas é importante fazer escolhas alimentares mais saudáveis ​​enquanto você faz isso.

Os tamanhos das porções são importantes para pensar se você tem o tipo 1 ou o tipo 2. Isso facilita o cálculo de factos nutricionais quando você está a contar ou a gerenciar o seu peso. Lembre-se de que o tamanho das porções é diferente para todos, então o que é certo para outra pessoa pode não ser adequado para você.

As nossas 10 dicas principais:

1. Escolha hidratos de carbono mais saudáveis

Todos os hidratos de carbono afectam os níveis de glicose no sangue, por isso é importante saber os alimentos que contêm hidratos de carbono. Escolha os alimentos mais saudáveis ​​ e esteja ciente de seus tamanhos de porção.

Aqui estão algumas fontes saudáveis:

grãos integrais como arroz integral, trigo sarraceno e aveia inteira, fruta, vegetais, feijão e lentilhas, laticínios como iogurte e leite sem açúcar.

Ao mesmo tempo, também é importante reduzir os alimentos com baixa fibra, como pão branco, arroz branco e cereais altamente processados. Se não tiver certeza, você pode verificar os rótulos dos alimentos quando procurar por alimentos ricos em fibras.

2. Coma menos sal

Comer muito sal pode aumentar o risco de pressão alta, o que, por sua vez, aumenta o risco de doenças cardíacas e derrame.

Tente limitar a um máximo de 6g (uma colher de chá) de sal por dia. Muitos alimentos pré-embalados já contêm sal, lembre-se de verificar os rótulos de alimentos e escolher aqueles com menos sal. Cozinhar do zero ajudará você a ficar de olho na quantidade de sal que você está a comer. Você também pode ser criativo e trocar sal por diferentes tipos de ervas e especiarias para adicionar esse sabor extra.

3. Coma menos carne vermelha e processada

Se você estiver a cortar em hidratos de carbono, poderá começar a comer maiores porções de carne. Mas não é uma boa ideia fazer isso com carne vermelha e processada, como presunto, bacon, salsichas, carne bovina e cordeiro. Tudo isso tem vínculos com problemas cardíacos e cancros.

Tente trocar a carne vermelha e processada por estes alimentos como feijão e lentilhas, ovos, peixe, aves como frango e peru ou nozes sem sal

Feijões, ervilhas e lentilhas também são muito bons em fibras e não afectam muito os níveis de glicose no sangue – tornando-os uma óptima troca em relação à carne processada e vermelha fazendo você sentir-se cheio. A maioria sabe que o peixe é bom, mas peixes oleosos como salmão e cavala são ainda melhores. Eles são ricos em algo chamado óleo ómega-3, o que ajuda a proteger o seu coração. Tente comer duas porções de peixe oleoso por semana.