Vem de longe, muito longe, a doutrina vesga fundamentalista eivada de radicalismo que mina qualquer entendimento, por diversos meios, por múltiplas adjectivações, a UNITA está calcinada de ódio, angustiada e ansiosa, desfila numa repetida incongruência de querer estar dentro e fora, contrariando a sua essência.
Ninguém consegue ver o que carrega nas costas, e quando olhamos em frente somos confrontados com cicatrizes de feridas do passado, elas marcam o infinito e iluminam o futuro, isso dói quando enfrentamos no caminho as lembranças aziagas de sangue, morte, traições e tantas revoltas silenciadas pelo medo que atrofiaram irremediavelmente a vida.

Há em cada palavra, expressão, de ACJ “Bétinho”, um sinal indissociável da herança, ela é a raiz do entendimento com Abel Chivukuvuku, apenas os dividiu o caminho da ambição, a escola foi a mesma, são gémeos no saque, na clandestinidade, na postura e metodologia, até no vestuário e gostos pessoais, e une-os a visão única de crer que Angola só será grande se os opositores forem liquidados.

Esta é a verdade que resume todas as estratégias, é uma ideia transversal de Lukamba Gato a Kamalata Numa, de Marcolino Moco a Luaty Beirão, de Mihaela Webba a Nélito Ékukui, é a doutrina que os engaja no gueto do SOVISMO e se escondeu na fantasmagórica FPU, jamais conseguirão respeitar a democracia, nunca irão submeter-se às instituições, e em cada ajuntamento a questão central é encontrar a via de assalto ao Poder.

Estão a ser agendados encontros fora de Angola e da Europa, com objectivos bem definidos de campanha internacional contra o MPLA e João Lourenço, houve contactos nas últimas horas, ACJ e Chivukuvuku projetam viagens ao exterior, e a mobilização é feita pela assessoria de Isabel dos Santos, com a presença do grupo de Lisboa com Fátima Roque, Paula Roque, João Soares, independentistas de Cabinda, delegados da UNITA  no estrangeiro, e vão tentar seduzir outros angolanos como Bonga e Eduardo Agualusa.

Em contrapartida, nas bases provinciais, a juventude da UNITA quer mudanças, mesmo ameaçados é crescente a oposição a ACJ, já chegou ao ponto de Lukamba “Miau” Gato, para se deslocar à sua terra, Huambo, leva consigo segurança reforçada. Dorio Savimbi já iniciou contactos para a realização de um Congresso para discutir a liderança.
A ver vamos…!!!