A província do Bié conta com imensas potencialidades culturais e turísticas, e acreditem, tem sido um lugar de eleição de turistas.

Depois da passagem por cá no ano 2019, uma comitiva de turistas de diversos países, regressou para, mais uma vez, inteirar-se das potencialidades turísticas, económicas, sociais e culturais da província do Bié e conhecer outras províncias, designadamente Moxico, Huambo e Benguela.

Os turistas, que se fizeram transportar no comboio de luxo “Rovos Rail”, visitaram locais de referência da cidade do Cuito, com destaque para o largo Espelho d’Água – vulgarmente conhecido na sociedade biena por Jardim da Pouca Vergonha -, a Ombala Ekovongo e o Cemitério Monumento dos Mártires da Resistência do Cuito.

O investidor sul-africano Nicolas Scout, que já na primeira viagem do Rovos Rail, fez parte da comitiva turística, salientou que quando se trata de turismo pelo continente africano Angola faz sempre parte da rota dos membros da comitiva Rovos, na sua maioria multimilionários com diferentes interesses por África, Europa e Ásia.

“Angola é um país que particularmente me agrada. Por isso, sempre que posso venho cá fazer uma visita. Tal como na África do Sul, o objectivo do turismo aqui em Angola e em particular no Bié é de grande relevância para nós, que pretendemos apostar neste segmento visando economicamente este belo país”, afirmou o investidor.

Para ele, o Bié é dos destinos em que pretende investir futuramente. Segundo afirmou, tem contactos bem avançados com as autoridades bienas, para que, numa previsão de tempo estimada em dois anos, a sua companhia de turismo invista em resort’s e hotéis em dois municípios.

Nicolas Scout não avançou valores, mas garantiu que o processo de investimento já passou da fase exploratória.

“É um processo que já passou da fase exploratória. Temos os espaços muito bem identificados em dois municípios da província do Bié, e tão logo seja aprovada em definitivo a nossa proposta, vamos avançar com um forte investimento na área do turismo”, apontou.

De acordo com o director do Gabinete de Cultura, Turismo e Juventude e Desporto do Bié, Nelson Quintas, esta visita de negócios e turística é avaliada positivamente por homens do comércio e hotelaria da província, que, segundo ele, consideram ser de grande valia, caso os investimentos propostos se concretizem.

“As potencialidades da província encantam qualquer turista. Foi manifestada por muitos membros da comitiva do Rovos Rail a vontade de investir. Contactos exploratórios existem há já algum tempo, mais propriamente desde o momento da primeira visita, em 2019. Se a vontade manifestada por eles se materializar, seguramente a província sairá a ganhar”, disse Nelson Quintas.

A Rovos Rail é uma empresa sul-africana, fundada em 1989, que organiza e promove viagens turísticas em comboio de luxo pelo nosso continente.