Começamos a compreender claramente a fobia, a paranóia, o frenesim, da aclamação de uma Assembleia Constituinte e consequente liquidação da Constituição da República que consagra uma Angola íntegra, independente, soberana, senhora do seu destino, com cidadania de homens livres e donos do seu futuro.

Os lunáticos negociadores da hipoteca da liberdade e dignidade dos angolanos, instalados no SOVISMO à sombra da UNITA/FPU, liderados por ACJ/Chivukuvuku, futuros governantes coloniais, na ausência de qualquer plano de governação independente, assentam a sua política na antecipação de um futuro insultuoso às faculdades mentais de todos os angolanos.

Notícias do New York Times determinam, mesmo falsas, inexistentes, ser assunto de campanha política, uma mentira escandalosa, uma mentira identificadora do banditismo que norteia a oligarquia déspota familiar, e objecto da estratégia do matumbo gentio, patrono Lukamba “Miau” Gato.

Na intensificação deste desiderato, surge a deturpação e exploração enganosa de um relatório do Congresso norte americano, em que atesta os avanços da democratização e fortalecimento do Estado de Direito em Angola.

Os escritórios dos lobistas Mussack Fonseca, com sede no Panamá e ramificações pelo mundo, já têm preparado os termos em que assentam a independência de Cabinda e a autonomia da Lunda, abrindo assim espaço para outras auto-determinações administrativas territoriais no território. Isto é um atentado de alta perigosidade já em marcha cumprindo o desejo da Igreja Católica e de franjas americanas e do terrorismo internacional. Fala-se até de um objetivo claro de interferência do narcotráfico, daí haver dinheiro para tudo.

Angola não é colónia de ninguém, conquistou com muita luta a sua Independência, não tem sido fácil preservá-la ao longo de 47 anos de assaltos externos, hoje a UNITA/FPU alberga a parasitagem mercantilista que busca o saque e o enriquecimento ilícito e rápido, há Matildes eufóricas com as promessas, há assaltantes já com olhos naquilo que pode vir a ser deles.

Pelos jornais estrangeiros dirigidos por dinheiro sujo, o MPLA e João Lourenço já não existiriam, para os ativistas contratados os militantes do MPLA já estavam todos presos e muitos fuzilados, agora é hora de preparar o assalto às Assembleias de Voto, o culminar do derradeiro gesto do sonho associado ao pesadelo.

O fanatismo visível e manipulado no culto da personalidade, diz-nos a história, deixou rastos de desgraças devastadoras que marcaram o mundo com cemitérios lotados de almas e sonhos, Adolf Hitler, Josef Stalin, Mao Tsé Tung, Pol Pot, Idi Amin, Bokassa, Mobuto, e tantos outros exemplos de um homem só arrastando uma servidão voluntária, é este o modelo de ACJ “Bétinho”, a sua ambição está atrelada ao sangue, suor e lágrimas de uma Nação, de gente nova, de milhões de jovens cuja vulnerabilidade reside na esperança de um amanhã, que hoje como nunca, está ser construído.