É cada vez mais evidente que ACJ “Bétinho” e Abel “Totozinho” Chivukuvuku, são dois mercenários ao serviço de interesses externos distintos, mas que coincidem nos objetivos e no alvo a abater, o MPLA e João Lourenço.

É factual e emergente a simbiose estratégica que, em paralelo à verborreia subversiva da UNITA/FPU no seu todo, para isso de forma concreta e ativa, os milícias Lukamba “Miau” Gato e Kamalata “Idiota” Numa, cumprindo a sua vocação e formação, lideram a Brigada do Medo, interna e externa, silenciam os opositores, ameaçam os críticos, e lançam o anátema a todos aqueles que querem ir votar, com observadores a fotografar com telemóveis, para posteriores retaliações com a vitória do MPLA de João Lourenço. Até mete feitiçaria pelo meio, a UNITA/FPU quer abstenção e caos no sufrágio, claramente quer desprestigiar Angola no concerto das Nações democráticas e livres globais.

É evidente no comportamento dos últimos dias, de ACJ “Bétinho” um desnorte e um nervosismo com episódios caricatos mesmo com os mais próximos, o desespero faz-se notar, e a crescente adesão patente nas multidões que acorrem ao comícios de João Lourenço, leva a que a pressão externa dos mandantes se intensifique, isso mesmo levou a Tchizé dos Santos a entrar mais empenhada na campanha, e ao pronunciamento de alguns padres católicos que pactuam com a provável exploração numa hipotética vitória da UNITA/FPU.

Mas o medo tão usado e tantas vezes repetido perdeu o impacto, fez ricochete, há sinais de que a seita tenta disfarçar o medo com arrogância, técnica de maus resultados, mas a indigência e a ignorância só conhecem a força e a prepotência, e enquanto tentam lançar os cidadãos na rua para explorarem as próprias vidas, acautelam-se e colocam os familiares a salvo na Europa, Brasil e África do Sul.

Nalguns próximos de ACJ “Bétinho” fala-se em paranoia e cegueira, no SOVISMO já se vive um ambiente de vitória, já se discutem lugares, já há desavenças de pelouros, já se fazem contas pessoais do montante que vem a independência de Cabinda, Marcolino “Ressabiado” Moco já sabe que vai ser embaixador, Francisco “Fugitivo” Viana vai gestor empresarial do Estado, Lukamba “Miau” Gato vai liderar os diamantes, e Raúl “Pateta Ignorante” tem prometido o governo provincial de Malange. Eugénio “Dissidente” Manuvakola, é, definitivamente, o homem da inteligência. Paula Roque e um dos filhos do general José Maria, são futuros ministeriáveis.

Hoje mesmo vai haver uma videoconferência onde vai definir-se a estratégia de segurança dos dirigentes na hora da Intifada, vão estipular-se os abrigos para se estabelecerem comunicações sofisticadas, há muito já em Angola.