Há um grande equívoco nas reportagens das atuais eleições em Angola. De um modo geral estão a ser apresentadas como mais um confronto MPLA x Unita, repetindo os padrões da guerra civil e dos primeiros 15 anos de paz.

A verdade é que as coisas mudaram muito.

Atualmente, a Unita é algo de diferente, ainda tem lá uns idiotas úteis a fingir que são revús e alguma gente ponderada do passado, mas tornou- se no repositório dos santistas descontentes. Isto quer dizer que a Unita foi absorvida pela família dos Santos e todos os associados do passado. O bacharel Adalberto é apenas a imagem de marketing utilizada para enganar os tolos.

A agenda da Unita-ACJ é a manutenção dos privilégios do passado, a que chamam reabilitação.

Já o MPLA é uma força em transformação. Obviamente ainda contém as raízes do passado, e muitos oportunistas e carreiristas, mas conseguiu ter um núcleo de vanguarda que encarna a verdadeira mudança: uma economia aberta de mercado, uma luta constante contra a corrupção, a construção reformista de um estado de direito.

Não nos enganemos, o passado do saque alinhou com Adalberto, o futuro está com a renovação do MPLA.