Nunca em tempo de agressão militar, jamais em tempos de humilhações internas, inquisições e matanças, mesmo quando se violava ostensivamente a dignidade humana e se agredia a democracia, a UNITA argumentou a sua existência com tanta mentira, tanta insinuação, tanta ameaça, tantos incentivos para o confronto apregoando a desobediência civil.

Sem vergonha, sem ética, sem moral, esbanjando tirania acenando fundamentalismos, ACJ “Bétinho” pula de mentira em mentira, de intriga em intriga, lançando farpas seguidas, minuciosamente ensaiadas, após a realidade desmentir as patranhas e tangas coladas à sua personalidade doentia.

O “intrujo mendaz” assim se refere a sua mais próxima colaboradora, é uma ficção política que emergiu de fanatismos políticos oportunistas, gosta-se de ouvir, adora ver-se ao espelho, exibe a sua mestiçagem com altivez e ar superior, por isso mesmo rejeita parecer em público com a sua amante negra, e para não desagradar a Igreja Católica que é contra o divórcio e a bigamia.

Mas a birra doentia sustentada por uma senilidade de cariz psiquiátrico, infectada de megalomania permanente, esgotada no ódio aos adversários, gera agora aversão por todos quantos se lhe opõem internamente na sua liderança, um a um vão ficando pelo caminho, ficando rodeado de bajuladores, oportunistas, e por quem estrategicamente lhe vai amparando o jogo.

Os matumbos do mato, capatazes e sipaios idiotas como Lukamba “Miau” Gato e Kamalata “Pateta” Numa, já foram reduzidos à sua insignificância indigente, mas apoiados por comités externos Abel “Totozinho” Chivukuvuku e Eugénio “Regressado” Manuvakola, ascendem ao palco do banquete, e na plateia expectante estão a aplaudir os Marcolinos “Parasitas” Mocos, os Franciscos “Fugitivos” Vianas, os escroques Raúl’s “Estafetas” Dinises, e atentos ao sol na praia de Carcavelos estão os artistas e pseudo intelectuais à espera das transferências para as suas contas bancárias em Portugal.

O curioso é o banho de realidade nas hostes do Galo Negro, ninguém aceita lugares na Lista de candidatos para lá do lugar 50/60, a dupla Chivukuvuku/Manuvakola não aceita samakuvistas, ACJ “Bétinho” tem 20 independentes a que prometeu lugar ilegível, e Chivukuvuku estrategicamente colocou entre familiares alguns filhos de Jonas Savimbi, sempre com a mira de legitimar o assalto à presidência. O ninho do SOVISMO fervilha de ameaças e vinganças, no ar pairam ingredientes que anunciam uma escalada de desentendimentos que se agudizam por ausência de liderança.

Será que a UNITA na sua onda separatista já se separou do país, ignorando regras, leis, e abdicando das suas obrigações e responsabilidades?

Estranho, muito estranho, ainda ontem ouviu-se Abel “Totozinho” Chivukuvuku” falar em estratégia da FPU: É oficial?

Será que foi a TPA que montou a revolta da filha de Raúl Danda, que sem medo soltou a indignação de como os dirigentes da UNITA, em especial ACJ “Bétinho” maltrataram a família e ignoraram o funeral do malogrado deputado e vice presidente dos Kwatchas?

Será que Abel “Totozinho” Chivukuvuku, residente habitual no Faroeste Americano do Nevada, entraria num avião português, francês, alemão ou da Emirates sem talão de embarque? Ou a prepotência é só contra instituições angolanas de quem se julgam donos e senhores?

É essa Angola que querem, onde uma oligarquia déspota familiar e política se julga superior e detentora de todos os direitos?

Porque não exigem estes lacaios do nepotismo de choldra, aviões privados aos mentores da CIA na América e aos parasitas residuais do Apartheid helicópteros para passearem a sua arrogância?

Pobre Angola que filhos destes pariu…!!!