Neste momento, só fanáticos e tolos acreditam que ACJ tenha uma licenciatura em engenharia. Após meses de investigação e de encobrimento dos aliados de ACJ, a verdade veio ao de cima. ACJ andou a mentir a toda a gente durante estes anos todos. Não concluiu qualquer licenciatura em engenharia.

Agora os argumentos vão continuar a surgir.

Ele continua a rir-se e a afirmar que estudou no ISEP. Ninguém diz que não. O que está claro é que desistiu a meio, ou chumbou, ou interessou-se por outros assuntos e não terminou. Isso seria normal, se o próprio ACJ não tivesse vindo sempre afirmar que era engenheiro e deixar-se tratar como tal.

Outro argumento é que não é necessário ser licenciado para ser Presidente da República. É verdade, mas esse não é o problema. Repete-se. A falsidade está na mentira que ACJ alimentou durante décadas. Se nunca tivesse dito que era engenheiro, ninguém lhe cobraria isso. ACJ é vítima do seu próprio embuste.

Há muitos anos em Portugal houve um caso semelhante, José Sócrates, primeiro-ministro, dizia que era engenheiro e veio-se a descobrir que a sua licenciatura era um embuste, fruto duma larga vigarice. Sócrates também se defendeu na linha do que hoje ACJ e os seus apaniguados fazem, aliás foi mais longe e usou todo o poder do Estado para se proteger. Não lhe valeu de nada, acabou por cair e hoje é arguido num processo multimilionário por corrupção.

O que está em causa não é uma licenciatura, é a falta de carácter de quem diz que é licenciado, se deixa tratar como engenheiro e não o é. Um homem destes não pode ser Presidente da República de Angola.