É fácil, muito fácil, aos reformados brigadeiros e generais que nunca experimentaram as carícias de um helicóptero ou os beijinhos de uma G3, lançarem lança-chamas a partir do conforto de um hotel de luxo no Dubai, em Lisboa ou em Nova York. Perfumados e engravatados, atiçando e açoitando a inteligência de todos a quem chamam de matumbos, ACJ “Bétinho” sabe bem quando o seu ego se sobrepõe à liderança partidária, cumpre missões impostas pela teia terrorista, usa quem o rodeia na sabotagem, deixa os idiotas de sentinelas, e cobardemente, próprio dos tiranos lacaios dependentes do enriquecimento ilícito, como pivot de uma pseudo elite concêntrica em escala de servidão voluntária.

Causou repulsa e revolta a Lista dos energúmenos, era compreensível a incompatibilidade de Abel “Totozinho” Chivukuvuku e Francisco Viana, a reação foi instantânea, o descontentamento atingiu uma onda de indignação, dissidências e até ameaças de morte, uma ação generalizada em todo o território e na diáspora que se viu completamente ostracizada.

Mas a Lista não é tudo, é apenas a ponta do iceberg, não obstante a oligarquia déspota familiar não estar representada pelos líderes da clandestinidade, como o Sargento boçal Lukamba “Miau” Gato ou o sipaio Kamalata “Pateta” Numa, souberam salvaguardar alternativas consoante o desfecho, o capataz do racismo e ruralismo do Galo Negro, o sargento da Mocidade Portuguesa “Miau” colocou na Lista de candidatos a segunda esposa e dois irmãos, pensionistas do Estado com patentes militares. O antigo flecha colonial que lidera as milícias, colocou-se de prontidão para anunciar-se como futuro ministro da defesa.

Mas a equipa da CIA americana com Abel “Totozinho” Chivukuvuku e Jardo Muekália, conjuntamente com o traidor Eugénio Manuvakola e o negociante de ouro e diamantes Lukamba “Miau” Gato, asseguram o núcleo de assalto à Sonangol, Endiama e BNA, este grupo tem nas mãos o futuro de ACJ “Bétinho” que é a cabeça do polvo católico em contraste antagónico com a maioria protestante dos kwatchas.

Todas estas incongruências juntas às traições, estratégias e desvios, faziam adivinhar há muito, uma fragmentação que não tardou, mas que é irreversível, a UNITA/FPU instalada no SOVISMO, está prisioneira dos dissidentes e traidores, tentam disfarçar numa constante agressividade gratuita contra tudo que regule e normalize a Sociedade, são vermes nauseabundos que tentaram contagiar a peste camuflados na mentira, mas chegou a hora, é o começo apenas, não tardará a tempestade que vem limpar por arrasto o lixo do contentor onde cabem todos os detritos que proliferam nos esgotos do Povo atento de Angola, que quer o seu chão, Uno e Indivisível colorida de esperança que o Presidente João Lourenço devolveu aos cidadãos mais humildes.