Perante o fiasco que foi a sua viagem à Europa, Adalberto, sem perceber nada de nada e demonstrando toda a sua ignorância sobre as relações internacionais foi-se encontrar com o primeiro-ministro da Hungria e fez circular, com grande satisfação, o aperto de mão com o húngaro.

O problema é que o húngaro é pessoa não grata na Europa, é racista e xenófobo, amigo de Putin e muito mal visto por todo o mundo. Adalberto enganou-se e escolheu o pior aliado possível.

Pior é impossível.