Perante a evidente fragmentação e consequente desagregação da UNITA, urge driblar o divisionismo com mais uma ilegalidade, a reapresentação e há muito formulada FPU – Frente Patriótica Unida, para congregar no seu seio trupe traidora encabeçada por ACJ “Bétinho” e Abel “Anjinho” Chivukuvuku. Ambos com vida faustosa organizada no estrangeiro, palacetes, viaturas e negócios, cumprem assim, o desiderato dirigido pelos financiadores subversivos, lançando a restante militância num pântano nauseabundo, onde vegetam os alienados instrumentalizados e usados como escudo na tentativa do assalto ao Poder.

Nada mais poderia esperar-se da trupe quando para liderar a campanha foi escolhido o analfabeto político funcional clandestino Lukamba “Miau” Gato, assim embandeirando uma bandeira clandestina FPU como afronta ao Estado de Direito Democrático, fecha-se o círculo da fome com a vontade de comer. Os centros da subversão ativa passam para Nélito “Agitador” Ékukui em Luanda, Adriano “Caceteiro” Sapiñala em Benguela, e Navita “Nefelibata” Ngolo no Huambo. Liberty “Papagaio” Chiaka, sendo um animador de rua, não merece total confiança da seita por ter parentesco com Isaías Samakuva.

Há profunda estranheza nas hostes do Galo Negro pela permanente desculpa de falta de dinheiro, mas para opíparos repastos, mordomias sumptuosas e viagens de luxo pelo mundo fora, com premiados à vez, não faltam fundos, nem para tudo quanto rodeia e seja preciso para o culto da personalidade de ACJ “Bétinho”. É claro que no ruído da agitação há promessas que se não vão cumprir, não espanta que depois tenhamos notícias surpreendentes de envenenamento e feitiçarias.

O comité da Vila Alice, comandado pelo belicista Lukamba “Miau” Gato, e seus tradicionais assessores da guerrilha, já têm alternativa à irregularidade da FPU, dada como certa, será atribuído o fracasso a ACJ “Bétinho”, a Comissão Política que domina o Partido entre Congressos, retira confiança a ACJ “Bétinho”, acolhe Abel “Anjinho” Chivukuvuku como militante e cabeça de lista da UNITA em Agosto próximo, se o Galo Negro não tomar o Poder antes disso na rua.

Vamos assistir a episódios hilariantes protagonizados por um ruralismo sem Lei, a chusma de traidores acotovela-se em acusações, e mais uma vez a UNITA tropeça moribunda nas suas próprias contradições, oxalá a desgraça não seja contagiosa.