Compreende-se agora o porquê de uma lista de desconhecidos e incapazes ministeriáveis lançada para a ribalta pública; é a consequência da dualidade de critérios da ação política dos anarquistas arruaceiros, que como bons executores de uma clandestinidade de cátedra, deixaram as eminências do comando estratégico para tarefas mais incisivas na conquista do Poder, como dizem agora, a bem ou a mal.

Com critérios de atuação bem definidos, lançam a público contrainformação para ocultar o propósito da coligação, lançam dúbias insinuações para iludir o mercado, caucionar a busca de credibilidade política e económica, mas com o poder como dado adquirido, planeiam em conjunto com o ANC sul-africano uma onda de nacionalizações de tudo que é produtivo e entregar a uma pseudo elite que emergirá de uma lista de marimbondos que financiam e apoiam as corridas, a falsa e a verdadeira.

Nada do que virá a público nesta fase corresponde a vias de facto, em Angola e fora ensaiam-se cenários, alguns ridículos que atentam à inteligência dos cidadãos, outros até insultuosos que personificam quem os emite, é próprio da raiz pessoal de Adalberto da Costa Júnior e das hesitações e falta de liderança e verticalidade de Abel Chivukuvuku. Que pena arrastarem com eles gente de bem e angolanos incautos feitos marionetes como se de patetas e idiotas úteis se tratassem.

ACJ esteve em Roma, simula uma credibilidade que não tem junto da Santa Sé, padres e freiras angolanas foram torturadas a mando do psicopata Jonas Savimbi, missões protestantes e adventistas foram poupadas, Ordens religiosas acolheram-lhes noutras paragens, o Vaticano não dorme nem esquece, e sabe que a cúpula da UNITA é invariavelmente Protestante e Adventista, o MPLA, pese embora a sua doutrina marxista, nunca extremou posições com os católicos, daí os Papas nunca terem desanexado de Angola a Igreja cabindense.

Agora a FPU agendou para Lisboa uma manifestação, os ativistas que a mobilizam são exilados que vivem de subsídios sociais nos países de acolhimento, interessa-lhes o caos em Angola, são instrumento da parasitagem política internacional, mas para a UNITA tudo que cheire a instabilidade é útil e a intriga, a mentira e a insinuação são armas de arremesso que surgirão com mais intensidade a cada dia que passa.

Até quando…???