Houvera uma Oposição decente e civilizada, com linguagem e postura adulta e democrática, e ontem poderiam e deveriam ter estado no Bailundo e no Huambo nas inaugurações de obras importantes, a acompanhar o Chefe de Estado João Lourenço. Liberty, deputado pelo Huambo. Navita, delegada da UNITA no Huambo. Lukamba “Miau” Gato e Alcides Sakala, nascidos no Bailundo, deveriam lá ter estado a aplaudir o Presidente da República.

Acontece que pelos comentários feitos, seria uma ignomínia qualquer presença dos caceteiros, arruaceiros e maldizentes, profetas da desgraça, sem argumentos dizem estar a centralidade no lugar errado, procuram todos os defeitos para desvalorizar o feito, e para cúmulo, pasme-se, disseminaram a insinuação que foi tudo obra de José Eduardo dos Santos. 

ACJ “Bétinho” na sua marcha inconsequente, desfraldando a bandeira da ignorância e da terra sem lei, cria constrangimentos que levam o Partido a um beco sem saída. Maldizente, e política e intelectualmente inócuo, perdeu a dignidade, hipotecou a honorabilidade, num somatório de ilegalidades que tiraram identidade a ele e a todos a ele alienados que se arrastam nas suas aventuras.

Pode o Presidente da República, com toda a sua generosidade demonstrada ao longo do mandato convidar os agentes de uma Organização Clandestina? Quem é, o que é a FPU? Uma tribo de arruaceiros subversivos, que incendeiam permanentemente a política com insultos e agressões verbais, com o objectivo claro de espalhar o caos e instalar a anarquia. E o patrono desta farsa é ACJ “Bétinho”, o pensador e estratega é o nefelibata Lukamba “Miau” Gato, e o ajudante é o nubívago Abel “Totozinho” Chivukuvuku.

Com Isabel dos Santos agora a residir em Londres, viajando com frequência para Barcelona e Porto, secou a rota do Dubai, a dependência agora está em Israel e Estado Unidos da América, e em Joanesburgo na África do Sul, são os nichos financiadores e mandantes da Extrema Direita internacional. 

Há estudiosas nas chancelarias acreditadas em Luanda, que reportam pareceres que indicam que a UNITA, adoptou uma estratégia que parece não querer ser Governo pela via eleitoral, hoje o Galo Negro está prisioneiro a uma gang profissional da política que 60 a 70 lugares no Parlamento satisfaz-lhes plenamente, acantonaram-se em Luanda e não abdicam das mordomias da capital, o Poder tomado de assalto seria mais fácil para instalar o totalitarismo, subjugando as elites à força, porque definitivamente a UNITA não dispõe de quadros capazes de governar Angola. Só o ego, a loucura e a cegueira do núcleo do SOVISMO vive obcecado na sua ilusão.