Primeiro veio ACJ realizar uma conferência de imprensa em resposta à entrevista colectiva do PR, que não foi uma conferência, mas um discurso fascista sem direito a perguntas. A arruaça começou aí. ACJ fez um ataque vergonhoso às instituições, apelando, na prática à insurreição nas ruas.

Depois vieram os activistas das redes sociais insultar o PR e os tribunais de forma aviltante e grosseira, não admissível num estado de direito.

E esta manhã a arruaça incendiária chegou à rua. As imagens falam por si. Os ódios que ACJ, a Igreja Católica e demais acólitos semeiam estão a redundar em violência e fogo.

O PR tinha razão, a oposição está a reduzir- se à insurreição arruaceira incendiária destrutiva.